gototopgototop
PESAR DA UFRJ PELA MORTE DE EDUARDO CAMPOS

Em sessão de 14 de agosto, o Conselho Universitário da UFRJ aprovou Moção de pesar pelo falecimento “do ex-Ministro da Ciência e Tecnologia Eduardo Campos, vitimado com mais seis integrantes de sua comitiva num trágico acidente ocorrido no dia 13 de agosto de 2014.”.  

A Moção enfatiza que “Eduardo Campos construiu sua sólida trajetória na vida pública com o inarredável compromisso com os interesses nacionais, na defesa da educação pública e gratuita na perspectiva da construção de um país mais justo e solidário.”, e “presta sua solidariedade às famílias que perderam seus entes nesse profundamente triste episódio.”.           

Por João Eduardo Fonseca e Marcio Ayala, em 15 de agosto de 2014.

 
ELEIÇÃO PARA DECANIA DO CCJE

Debate do dia 20 de agosto será na Faculdade de Letras  

O último dos três debates programados pela Comissão Eleitoral que organiza o processo de escolha do próximo decano do CCJE ocorrerá no próximo dia 20 de agosto no Auditório E-3 da Faculdade de Letras no campus da Cidade Universitária. Nesta segunda-feira, 18, o encontro dos candidatos com a comunidade acontecerá no campus da Praia Vermelha, às 16h, na sala do anexo do CCJE (antiga sede do NEI). Na terça, 19, o debate será na Faculdade Nacional de Direito, às 18h, no Auditório Valadão.  

Por João Eduardo Fonseca e Marcio Ayala, em 15 de agosto de 2014.

 
DEBATES ENTRE CANDIDATOS À DECANIA

Os candidatos que participam do processo de escolha do Decano do CCJE para o quadriênio 2014-2018 iniciam a etapa de debates entre as chapas homologadas pelo Conselho de Centro, que ocorrerá nos dias 18, 19 e 20 de agosto. No dia 18, segunda feira, o debate será realizado no campus da Praia Vermelha, ás 16h, na sala do anexo do CCJE (antiga sede do NEI). Na terça-feira, 19, o encontro das chapas será na Faculdade Nacional de Direito, às 18h, no auditório Valadão. O terceiro debate ocorrerá na quarta-feira, dia 20, no campus da Cidade Universitária, às 16h. A comissão eleitoral esta aguardando a confirmação do local do encontro, que ocorrerá, alternativamente no auditório do IPPUR ou no da EBA.  

A Comissão respon´svel pelo processo de escolha informa, ainda, que os alunos dos cursos Gestão Pública para o Desenvolvimento Econômico (GPDES) e Defesa e Gestão Estratégica Internacional (DGEI) votarão na urna instalada do campus da Cidade Universitária, cuja localização precisa será informada em breve.  

 

Por João Eduardo Fonseca e Marcio Ayala, em 05 de agosto de 2014.

 
COMUNICADO DA PREFEITURA DA UFRJ

VENDA DE BEBIDA ALCÓOLICA PROIBIDA NA UFRJ

“A Prefeitura Universitária vai intensificar a fiscalização sobre o comércio de bebida alcoólica nos estabelecimentos existentes em todos os campi da UFRJ, inclusive no interior dos prédios, bares, quiosques e restaurantes quando verificada a venda indiscriminada de bebidas. De acordo com o Artigo 207 da Constituição Federal, a UFRJ tem autonomia didático-científica, administrativa e de gestão financeira e patrimonial, para decidir sobre a questão. Inclusive, a portaria nº 2510, de 7 de dezembro de 1999, estabelece as normas que proíbem a comercialização, uma vez que o consumo de bebidas alcoólicas é impróprio em uma instituição pública, cuja finalidade é ensino, pesquisa e extensão.   Caso seja contatado o comércio de bebida para menores de idade, a universidade vai fazer valer o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) com o apoio das forças de segurança pública, de acordo com o Artigo 243 da Lei nº 8.069 de 13 de Julho de 1990.”

 
HOMENAGEM A ALOISIO TEIXEIRA

No último dia 23 de julho, completaram-se dois anos do falecimento do ex-Reitor da UFRJ Aloisio Teixeira. O texto a seguir, de autoria da Professora do Instituto de Economia Maria Mello de Malta, representante dos Professores Adjuntos do CCJE no Conselho Universitário (CONSUNI), rememora e homenageia vida e obra do Reitor da UFRJ no período de 2003 a 2011. A homenagem foi apresentada na sessão do CONSUNI de 24 de julho de 2014.    

       “Ontem foi dia 23 de julho. Dia em que há dois anos perdemos, aos 67 anos, Aloísio Teixeira.   Nessas quase sete décadas Aloisio atuou no enfrentamento à ditadura militar, interpretou e contribuiu para o pensamento econômico brasileiro, formulou e executou políticas importantes para o país. Especialmente, Aloisio Teixeira deixou sua marca na construção da universidade brasileira do 21o século.  

Amigo para todas as horas, intelectual teoricamente orientado, porém aberto e criativo, e companheiro de luta daqueles que Brecht referiria como "os que lutam a vida inteira", simplesmente imprescindível. Essas características combinadas no corpo de um leitor voraz, apaixonado pela música e cientista crítico tornavam sua presença uma deliciosa aula permanente.    

Tendo o marxismo como opção e o magistério como vocação, formou várias gerações convidando-as a pensar o Brasil, regando nossas mentes com a generosidade de compartilhar suas mais íntimas dúvidas e ideias. Tinha como conselho permanente o trecho de A Internacional Comunista que afirma “façamos nós por nossas mãos, tudo o que a nós nos diz respeito”. E fazia.  

No início dos anos 1960 quando era estudante de engenharia entrou para o PCB. Como os jovens de hoje, teve seus direitos violados em 1969 por ousar pensar diferente e organizar ação política contestadora. Passou seis meses na prisão sofrendo as consequências da violência com que a ditadura brasileira tratava seu contraditório. Hora marcada para tortura, alimentação degradante, restrição de leitura. Para não quebrar fazia exercícios e jogava xadrez, sem tabuleiro, com seu vizinho de cárcere. Durante a fase da prisão teve a casa onde morava, junto com seus pais, incendiada num atentado de vandalismo do aparelho da repressão. Julgado à revelia, foi para a clandestinidade, até que se passassem os quatro anos necessários para a prescrição da pena de um ano à qual fora condenado.  

Na clandestinidade atuou na formação de quadros no partido e no retorno a vida pública, optou por formar-se economista. Em 1981 ingressou como professor na UFRJ, onde se titulou mestre, publicou sua tese de douramento elaborada na Unicamp e atou como professor, pesquisador e extensionista durante a vida inteira. Escolheu ser reitor desta universidade. Lutou por isso. Morreu por isso.  

Entre 2003 e 2011 dirigiu a UFRJ de forma democrática, sempre aberto a ouvir e dar espaço à apresentação do contraditório, possibilitando um ambiente de debate e criatividade raramente vividos pela universidade brasileira. Retirou a universidade de um período de sombras, reorganizando-a administrativamente, recolocando na pauta dos conselhos superiores e na comunidade da UFRJ o debate sobre o papel da universidade pública no Brasil e lutando no MEC, na ANDIFES e em cada fórum que pudesse pela expansão de vagas, estrutura e financiamento do ensino superior público, gratuito, universal e de qualidade. Tinha certeza que o Brasil só seria um país que se desenvolveria de forma autônoma se pudesse ter efetivamente uma universidade autônoma. Como um bom economista sabia que, no capitalismo, a liberdade de ensino, pensamento e formulação política para o desenvolvimento depende de um financiamento público adequado para todas as áreas do conhecimento, a fim de estimular a produção científica inovadora e crítica.  

Seu vínculo com a luta pela universidade pública, em especial por ESTA universidade pública, é tão forte que, como lembrou sua mãe Iracema, em homenagem realizada a Aloisio no Congresso Nacional, alguns ainda tentam denegrir a memória de seu filho, com o objetivo de atingir a universidade pública.  

Carlos, seu filho, na mesma ocasião afirmou que algumas das lições que aprendeu com o pai foi contestar, “duvidar das verdades que nos são apresentadas”, não ter medo, estudar sempre e lutar por um mundo melhor.  

Por isso, neste duro momento histórico, em que em pleno Estado democrático se atropela o direito, a liberdade e são feitos presos políticos, temos que tomar novamente as lições e a tarefa que nos deixou desde seu discurso de posse no primeiro mandato como reitor.  

Tarefa  

Geir Campos  

Morder o fruto amargo e não cuspir

mas avisar aos outros quanto é amargo,

cumprir o trato injusto e não falhar

mas avisar aos outros quanto é injusto,

sofrer o esquema falso e não ceder

mas avisar aos outros quanto é falso;

dizer também que são coisas mutáveis...  

E quando em muitos a noção pulsar

— do amargo e injusto e falso por mudar —

então confiar à gente exausta o plano

de um mundo novo e muito mais humano.  

 

Obrigada, Aloisio. A tarefa anda dura, mas não teremos medo. Lutaremos em todas as frentes por um mundo melhor.   Liberdade aos presos políticos nos porões da ‘democracia’.”

 
<< Início < Anterior 1 2 Próximo > Fim >>

Página 1 de 2

ccje2-fO Centro de Ciências Jurídicas e Econômicas (CCJE) coordena as atividades universitárias da Faculdade de Administração e Ciências Contábeis (FACC), do Instituto de Economia (IE), da Faculdade Nacional de Direito (FND), do Instituto de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração (COPPEAD) e do Instituto de Pós-Graduação em Planejamento Urbano e Regional (IPPUR). A FND, uma das três unidades que, em setembro de 1920, foram reunidas para criar a atual UFRJ, ocupa um prédio histórico no Centro da Cidade. O IPPUR e a COPPEAD ficam na Cidade Universitária. O IE e a FACC, no campus da Praia Vermelha, onde também funciona a Decania, a direção executiva do Centro.



 
Nota de esclarecimento da Reitoria sobre a jornada de 30 horas semanais

Confira aqui.

 
Eleição para a Decania do CCJE

Edital de Convocação.
Regimento Eleitoral.
Informe da Comissão Eleitoral: Registro de Candidaturas.

 
Eleições para Representante dos Professores Titulares no CONSUNI

Regimento.
Requerimento de registro de candidatura.
Edital de Convocação.

 
Calendário CONSUNI 2014

Confira aqui.

 
Calendário acadêmico 2014

Confira aqui.

 
Decania - alteração de email

O Gabinete da Decania do CCJE informa que emails para a Decana agora devem ser enviados para decania@ccje.ufrj.br, mensagens enviadas para maria.lucia@ccje.ufrj.br não serão respondidas.

 
Mapa de salas de aula da Praia Vermelha

Mapa do Condomínio de Salas de Aula da Praia Vermelha conforme divulgado pela Comissão Mista do Condominio de Salas de Aula da Praia Vermelha
CCJE - CFCH

 
Revalidação de Diploma

Perguntas frequentes.
Informações sobre a Seção de Protocolo. 
Pós-Graduação: Requerimentoformuláriodocumentos necessários  e informações.
Graduação: Requerimento, documentos necessários e informações.

Atenção: 
É de responsabilidade do requerente a entrega completa da documentação no setor protocolo de CCJE;
O setor de protocolo do CCJE não, se responsabilizará pela conferência da documentação apresentada.